quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Florisvaldo de Oliveira "Cabo Bruno"

Florisvaldo de Oliveira, mais conhecido como Cabo Bruno nasceu entre 1958 e 1959, não se sabe precisamente, é um ex-policial criminoso acusado de mais de 50 mortes na periferia de São Paulo durante os anos 1980, considerado "um dos personagens mais polêmicos da crônica policial". Ele chegou a admitir essas mortes, mas depois as negou em depoimento. Cabo Bruno era o que se conhece como "justiceiro", pessoa que é contratada para matar outras, geralmente nas periferias. Dizia-se que ele matava "por odiar marginais", embora depoimentos sugerissem que algumas execuções teriam sido motivadas pela aparência das vítimas. Ele agia, quase sempre em suas folgas, no bairro de Pedreira (região do Jabaquara, zona sul de São Paulo), e alguns moradores dizem que "no tempo dele não havia tanta insegurança". Comerciantes costumavam ser seus maiores "clientes". José Aparecido Benedito foi o único sobrevivente das chacinas de Cabo Bruno, depois de tomar um tiro, fingiu-se de morto e conseguiu escapar. Reportagens do jornalista Caco Barcellos tornaram o Cabo Bruno notório. Foi ele que cobriu a última prisão do criminoso para o Jornal Nacional. A maioria dos fuzilamentos de que foi acusado ocorreram em 1982, e os muitos corpos crivados de balas encontrados na região durante aquele ano causaram pânico. Os carros que ele usava (um Chevette, um Maverick e um Opala), cujas cores sempre era mudadas, ajudaram a criar sua fama. Ele foi preso pela primeira vez, em 22 de setembro de 1983, por determinação da Justiça, depois de ser acusado de mais de vinte assassinatos (sendo reconhecido por várias testemunhas), embora só tivesse confessado um, em 6 de fevereiro de 1982, na favela do Jardim Selma, em que foi denunciado por um amigo da vítima, que sobreviveu. Nessa época, a Polícia Militar de São Paulo estimava que Cabo Bruno e mais pelo menos doze policiais, incluindo dois oficiais (um capitão e um tenente), seriam os responsáveis por diversas execuções na Zona Sul da cidade. A polícia ainda divulgou que muitas das execuções teriam sido feitas com base apenas na aparência das vítimas, incluindo um rapaz morto por causa de uma pequena cruz que levava tatuada no pulso (para Cabo Bruno, qualquer tatuagem indicaria um criminoso, ainda que aquela especificamente tivesse sido feita por motivos religiosos). Quando as investigações começaram, o bando aparentemente era protegido por escalões mais altos, mas o avanço da coleta de pistas e provas fez com que toda a corporação passasse a colaborar. Depois de 12 julgamentos (em um deles, vários outros policiais compareceram ao tribunal para pressionar, mas as provas eram muitas), Cabo Bruno foi condenado a 113 anos de prisão. Depois de fugir três vezes, pela última vez em 30 de maio de 1991, atualmente encontra-se detido na Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, em Tremembé, São Paulo. Garante ter se convertido em evangélico e diz preferir não ser mais chamado de Cabo Bruno. Em 1998 foi realizada em São Paulo uma exposição de óleos sobre acrílico pintados por ele. Em julho de 2008, já capelão na capela ecumênica da penitenciária, casou-se lá com uma dona de casa que fazia trabalho voluntário. No seu trabalho como capelão, tem Lindemberg Alves (assassino de sua ex-namorada, Eloá Cristina Pimentel) como um de seus seguidores. No ano seguinte, após cumprir um sexto de sua pena, solicitou a conversão para o regime semiaberto. O Ministério Público Estadual pediu uma avaliação psicossocial criminológica, feita em duas etapas e com pareceres favoráveis à progressão de pena, que foi concedida em 19 de agosto. Apesar do regime semiaberto, ainda naquele ano foi-lhe negado o benefício de saídas temporárias, o que ele só poderá ter a partir de 2017, por causa do seu histórico de fugas.
Reportagem 1 Reportagem 2 Reportagem 3 Reportagem 4

O livro Rota 66, A História da Polícia que Mata de Caco Barcellos cita esses acontecimentos.

18 comentários:

  1. Eu era adolescente nessa epoca e morava em São Paulo. Sempre escutava noticias sobre o cabo Bruno.
    wwwerlon.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Quem mata bandido é um herói e esse é um deles,me desculpe se não sou hipócrita,este homem abriu mão de sua própria liberdade para tirar da rua gente q poderia tirar a sua vida vc ja pensou nisso,ou vc s gostam de trabalhar para serem roubados por bandidos ,é mais fácio criticar do q agir não é,esse cabo bruno é um Herói!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc Rodrigo. Na materia fala que existiam menos bandidos. Tem que ter alguem pra por "ordem na casa". Ja que Brasil nao tem pena de morte. Um desses vingadores ai...... E hoje a violencia esta demais. Alguem tem que fazer algo. Nem da mais pra ouvir jornal. afff.

      Excluir
  3. Ele fez tudo para ter um mundo melhor, se tivesse mais dele hoje em dia, pode ter certeza que esses lixos iam pensar mil vezes antes de roubar alguem ou fazer alguma coisa errada. Pelo Menos na epoca era mais seguro as pessoas se sentiam mais seguras. Mas depois de um tempo começou a sair fora de controle ne, ai as epssoas de bem ja tinham medo dele tbm. Mas em certa parte fez um bem para são paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que respondi para o Rodrigo ai em cima Aline. Temos que ter mais desses, ou existir a lei da PENA DE MORTE no Brasil. Violencia demais hoje em dia.

      Excluir
  4. Cabo Bruno foi sem dúvida uma das melhores pessoas que este país já conheceu. Para quem não sabe, este Caco Barcellos é um vagabundo marxista que faz de tudo para atacar a polícia, aposto que o namorado desse corno deve ser bandido.

    Em 2017 o Cabo Bruno sai e dá um jeito nessa turminha. Cabo Bruno rox.

    ResponderExcluir
  5. Sou morador da Pedreira onde o saldoso Cabo Bruno atuava (Soldado Florisvaldo de Oliveira). Moradores antigos sentem saudades da época, pois aqui quem mandava era a policia vagabundo amanheciam com formigas na boca.
    Em meados de 2005 atuava o Soldado da Força Tática conhecido como Pio. Ele era justiceiro bandidos tinham medo quando viam o taticão chegando pois sabiam que iam para o saco.

    Politica de merda esta que nos temos, policial bom é morto ou é preso e vagabundo fica a soltas na rua.

    Bandido bom é bandido morto.

    ResponderExcluir
  6. Espero que todos os que defenderam o cabo Bruno estejam felizes também com a morte do rapaz com a cruz tatuada no braço. Qual a importância de alguns inocentes mortos, frente a tão nobre causa?

    ResponderExcluir
  7. Um dos últimos heróis desse pais. Que Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  8. O Ex-cabo Bruno Agora é um Pastor DA Igreja Refugio em Cristo Filial De são paulo casado com a pastora dayse

    ResponderExcluir
  9. Respostas
    1. Pois é.... isto é de se sentir muito, pois mesmo eu sendo adolescente naquela época, frequentando capão redondo, vaz de lima, angela, e outros lugares, tenho a certeza que muitos vão sentir falta dele, pois naquele tempo bandidos não vacilavam nas ruas, se vc não devia nada, não tinha com o que se preocupar, se trabalha, carteira assinada no bolso, tudo estava tranquilo, eu caminha de madrugada , não temia bandidos... e agora.....

      Excluir
  10. A mídia sempre deu nó em pingo d'água para difamar o Florisvaldo. Florisvaldo era a resposta que o crime merecia (e ainda merece). Lembremos que nos anos oitenta nem prostituta usava tatuagens, calma lá. O asno do Datena estava todo gracioso falando bobagens hoje. Se o Estado, que pode ser organizado, nada faz, o cidadão não muito estudado vai à luta; aí não adianta reclamar. Que descanse em paz o grande Cabo Bruno.

    ResponderExcluir
  11. Pena que ele foi morto em sua casa. Ele saia e matava apenas quem merecia. E foi morto covardemente dentro de casa.

    ResponderExcluir
  12. nen todo mundo e culpado as veses a policia mata pessoas inocentes covardemente, alem de umilhar acham se homens suficentes ..pra foi ate bom que um cara desse morrer .pois ah muitos policias corruptos em nosso pais ... eles matam
    estrupam traficam e humilham as pessoas covademente sem ninguem saber ,coisas que a tv e o radio nao mostra . policial corruto merece ser morto sim

    ResponderExcluir
  13. - PQP !!! Já disse e repito: Politico corrupto e assemelhados tem que morrer! Latrocidas,traficantes de drogas e pedófilos tem que morrer! Sequestradores e estupradores tem que morrer! Junta-se todos eles num comboio da morte e leva para um sertão desértico e fuzila ou enforquem todos eles... os abutres e urubus farão um banquete dos corpos. BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO!!!!

    ResponderExcluir
  14. Eu vivi essa época no jardim selma-...
    O homem era TEMIDO ...

    ResponderExcluir

<