terça-feira, 17 de novembro de 2009

Yoshio Kodaira

Yoshio Kodaira (小平 义 雄) nascido em 28 de janeiro de 1905 foi um estuprador e serial killer japonês. Ele também foi um dos poucos ex-soldados que admitiu que o exército japonês cometeu atrocidades antes da Segunda Guerra Sino-Japonesa. Kodaira sofria de gagueira durante sua infância. Ingressou na Marinha Imperial Japonesa, em 1923. Ele participou do Incidente de Jinan (conflito em que Japão e chineses do sul atacaram brutalmente chineses do norte) . Ele matou seis soldados chineses em 1928 e estuprou e assassinou muitas mulheres na China. Em Taku Forts, ele enfiou uma espada na barriga de uma mulher grávida. O número exato de suas vítimas na China é desconhecido. Kodaira se casou em 1932 depois que ele voltou para o Japão. Sua esposa o deixou anos depois porque ele teve um filho com outra mulher. Ele ficou irritado e atacou a casa da família de sua ex-mulher, matando o padrasto e ferindo outros seis membros da família dela, com uma barra de ferro em 2 de julho de 1932. Ele foi preso e em 1940 ele seria solto. Acredita-se que ele estuprou e assassinou dez mulheres, entre 25 de maio de 1945 e 6 de agosto de 1946 em Tochigi e Tóquio. Após seu quinto assassinato, ele passou a cometer necrofilia com os cadáveres. Suas vítimas eram sempre meninas adolescentes. Ele estuprou cerca de 30 mulheres, além das vítimas que ele matou. Em 20 de agosto de 1946, Kodaira foi preso. Ele negou a responsabilidade de três dos assassinatos no tribunal, o tribunal o condenou por sete dos dez assassinatos suspeitos, em 18 de junho de 1947. Uma de suas vítimas nunca foi identificada. O Supremo Tribunal o condenou à morte em 16 de novembro de 1948. Ele foi executado em 5 de outubro de 1949. Em seu último dia, ele disse: "Tenho a sorte de morrer em um dia tão calmo e tranqüilo." Ele fumava um cigarro Hikari e manteve-se calmo enquanto estava sendo executado.

O livro Tokyo Year Zero, de David Peace é baseado nesses acontecimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<