sábado, 31 de outubro de 2009

Richard Ramirez

Richard Ramirez, nascido Ricardo Muñoz Ramírez no dia 29 de fevereiro de 1960 em El Paso, Texas é um serial killer que aguarda execução no corredor da morte da Prisão Estadual San Quentin na Califórnia. Antes de sua detenção, a mídia o apelidou de "Night Stalker" (Demônio Noturno), na época da sua detenção, os sensacionalistas relatavam seu aparente interesse pelo ocultismo e satanismo. Richard Ramírez era o mais novo dos cinco filhos dos imigrantes mexicanos Julián Ramírez e Mercedes Muñoz. Quando criança, ele era tranqüilo e solitário segundo aqueles que o conheciam. Ramírez, quando tinha dois anos, teve uma contusão na cabeça após uma cômoda cair sobre ele e ele teve que receber mais de 30 pontos. Ele também sofria de convulsões e foi diagnosticada com epilepsia do lobo temporal, quando tinha seis anos. Com 10 anos, Ramírez supostamente começou a passar noites em cemitérios. Com 13 anos, ele começou a passar uma grande parte do tempo com seu primo Mike, um veterano das Forças Especiais da Guerra do Vietnam. Mike mostrava para Ramires fotografias de Polaroid de mulheres vietnamitas que ele se gabava de ter torturado, violentado e matado. Os dois passavam muito tempo fumando maconha e dando voltas de carro, segundo Ramírez, durante esse tempo Mike o ensinou a atirar e cortar as pessoas por "profundamente".Mike assassinou sua esposa enquanto Ramírez estava de 2 a 3 metros de distância. Depois disso, Ramírez começou a faltar à escola, e continuou fumando maconha e começou a cheirar cola pela sétima série. Ele logo começou a roubar, em parte para financiar seu uso de drogas. Ele estudou na Thomas Jefferson High School, em El Paso, Texas, saindo fora de lá antes mesmo de completar um ano. Durante este período, Ramírez foi preso duas vezes por posse de substâncias ilegais.Ele vivia uma vida de vagabundo, fumando maconha e comendo porcarias, segundo os repórteres Aurelio Rojas e K. Mack Sisk. Por causa de sua falta de higiene e dieta rica em açúcar, os dentes de Ramírez começaram a apodrecer o que tornou forte o seu mau hálito. O abuso de droga, que esta época já tinha evoluído para cocaína, o levou a várias prisões por posse de drogas e também por alguns roubos. Ramírez foi preso duas vezes por roubo de carro na Califórnia, em Pasadena, em 1981, e em Los Angeles em 1984. Michael D. Harris, elaborou uma matéria escrevendo que, anos mais tarde, o pai de Ramírez dizia que Richard era um menino "bom", cujo uso de drogas "o deixava fora de controle". Richard muitas vezes desenhou um pentagrama (estrela de 5 pontas) , um símbolo associado ao satanismo, em seu próprio corpo. Em seu julgamento, ele gritou "Hail Satan!" em uma sessão pública. Ramírez era um grande fã de bandas de hard rock e heavy metal que cantavam sobre o inferno e o diabo. Ele disse que era fã de AC / DC e, em particular, da música "Night Prowler" (Ladrão Noturno) do álbum Highway to Hell (Auto-Estrada para o Inferno), música que ele deixou escrito no quarto de uma das vítimas ajudando a imprensa a desenvolver o seu apelido, "Night Stalker". Segundo a polícia, ele usava uma camisa e um boné do AC/DC nas cenas dos crimes. Anos mais tarde, o incidente foi descrito no programa da Behind the Music da Emissora VH1, o programa falava sobre o AC/DC. A banda explicou que, embora a música "Night Prowler" tinha tomado uma conotação obscura por Ramírez, ela era realmente sobre um menino que pulava o quarto de sua namorada à noite sem os pais dela saberem.Em 28 de junho de 1984, após uma noite de abuso de cocaína, Ramírez removeu uma tela e entrou pela janela do Jennie Vincow, de 79 anos de idade, no Glassell Park, em Los Angeles. O filho de Vincow, Jack, descobriu o corpo dela minutos mais tarde. Ela estava deitada na cama, esfaqueada repetidamente, a garganta cortada tão profundamente que ela quase foi decapitada. Ramírez também vasculhou seu apartamento. As impressões digitais foram encontradas a partir da tela da janela. A autópsia revelou mais tarde sinais de violência sexual . Em 17 de março de 1985, Maria Hernandez de 22 anos, foi abordada quando saía de seu carro na garagem do condomínio, que ela dividia com uma colega de quarto, Dayle Okazaki, 34 anos, em Rosemead. Hernández descreveu Ramírez como alto e todo vestido de preto, com um boné de beisebol dobrado para baixo sobre a testa. Ele estava segurando uma arma. Ramírez atirou no rosto dela enquanto ela levantou as mãos em auto-defesa. A bala atingiu Hernandez na mão, tendo sido desviada por suas chaves.Ela caiu no chão e Ramírez a empurrou para o lado e entrou no condomínio. Hernandez ficou imóvel por algum tempo até que ela ouviu o fechamento da porta, e então ela saiu para fora. Quando ela se aproximou da porta da frente do condomínio, Ramírez estava saindo. Ela abaixou-se atrás de um carro e Ramírez levantou a arma para ela. Hernandez pediu a ele para não matá-la e ele abaixou a arma e fugiu. Hernandez entrou no condomínio pela porta da frente e encontrou Okazaki morta no chão da cozinha. Ela havia sido baleada na testa a uma distância curta. A blusa tinha sido puxada para cima. Hernandez, em seguida, chamou a polícia. Mais tarde, uma autópsia encontrou uma bala de calibre .22 no crânio de Okazaki. Do lado de fora a polícia encontrou um boné de beisebol azul grande o nome AC / DC na frente. No julgamento, uma testemunha declarou mais tarde que parecia com um que Ramírez usava. Hernández também identificou Ramírez como seu agressor em um testemunho para a polícia e mais tarde no julgamento. Naquela mesma noite, após o assalto a Maria Sophia Hernandez e o assassinato de Dayle Okazaki, um carro dirigido por Tsia-Lian Yu foi forçado a parar quando um homem mais tarde identificado como Ramírez, fechou sua frente, perto do Monterey Park. Ramírez se aproximou do carro de Yu e a puxou para fora. Joseph Duenas saiu para a varanda de seu apartamento no segundo andar depois de ouvir uma mulher gritando por socorro. Duenas foi para dentro e chamou a polícia, em seguida, voltou para a varanda. Duenas observou a cena como o homem empurrou Yu, entrou no carro e foi embora. Como Ramírez estava dirigindo, ele passou pelo carro de Jorge Gallegos e sua namorada. Gallegos fez o perfil do condutor e anotou o número da placa do carro. Ambos testemunharam mais tarde no julgamento. Yu rastejou por uma curta distância e depois ficou imóvel. A polícia encontrou Yu respirando, mas inconsciente. Yu parou de respirar e o CPR foi administrado quando ambulância chegou. Ela foi declarada morta na Pousada Casa do Lago. A autópsia revelou que ela tinha sido baleada duas vezes no peito à queima-roupa e a bala encontrada era da mesma arma usada para matar Dayle Okazaki. Na manhã do dia 27 de março de 1985, mais duas vítimas foram descobertos. Vincent Zazzara, de 64 anos, investidor aposentado que tinha sua própria pizzaria. Foi encontrado por seu filho Peter, que tinha vindo o visitar. Após tocar a campainha várias vezes, ele entrou e Vincent estava no sofá, com um tiro na têmpora esquerda. Ele parecia ter morrido instantaneamente. Sua esposa, Maxine Zazzara, de 44 anos, foi encontrada estirada na cama, virada para cima e nua. Seus olhos foram arrancados e ela foi esfaqueada várias vezes ao redor da face, pescoço, abdômen e virilha. Tinha também um grande “T” feito à faca em forma de ferida em seu peito do lado esquerdo. Uma autópsia revelou mais tarde que, como seu marido, primeiro ela tinha levado um tiro na cabeça e provavelmente morreu instantaneamente, e o esfaqueamento e mutilação ocorreram após a morte. A casa havia sido saqueada e vandalizada. Em 15 de abril, duas semanas após o assassinato de Vicent e Maxine Zazzara, Richard Ramirez voltou ao Monterey Park e invadiu a casa de William e de Lillian Doi, com idades de 66 e 63 anos respectivamente, despertando-os de seu sono. Ramírez atirou no Sr. Doi acima do lábio superior, fazendo com que a bala atravessasse a sua língua e ficasse alojada em sua garganta. Depois de fazer isso, ele entrou no quarto da Sra. Doi, a esbofeteou, e avisou para ela não gritar, dizendo: "Cale a boca ou eu vou matar você, sua puta." Amarrou as mãos atrás das costas com algema de dedos para mantê-la presa. Ele procurou o que queria e depois que ele encontrou, ele voltou para o quarto e estuprou a Sra. Doi. O Sr. Doi, no entanto, não estava morto. Apesar de seu ferimento grave na cabeça, ele conseguiu rastejar até onde ele ligou para o 911. Ele foi incapaz de dizer ao atendente qual era o problema, mas a chamada foi rastreada e uma ambulância e um carro de patrulha foram enviados para o endereço dos Doi. William foi levado para o hospital, mas morreu na ambulância. Lillian Doi foi tratada por seus ferimentos e deu à polícia uma descrição do agressor.Os ataques continuavam, deixando a cidade de Los Angeles em um estado de pânico. Um oficial da polícia se referiu ao assassino-estuprador como o "Valley Intruder" (Intruso do Vale). Vários jornais da área passaram a chamá-lo de "Midnight Stalker" (Demônio da Meia-Noite). Na primavera de 1985, seus assassinatos eram freqüentes e se tornaram mais comuns ainda no verão. Em 29 de maio, Malvia Keller, 83 anos e sua irmã inválida, Blanche Wolfe, 80 anos, foram encontradas na casa de Keller em Monróvia. Ambas as mulheres tinham sido severamente espancadas com um martelo. Quando a polícia encontrou o martelo mais tarde, o cabo estava quebrado. Wolfe tinha uma perfuração acima de uma orelha. Um pentagrama invertido, com a ponta para baixo tinha sido feito com batom na parte interna da coxa de Keller. Um segundo pentagrama foi encontrado na parede do quarto sobre o corpo de Wolfe. Ramírez havia estuprado Keller, a irmã mais velha. Peritos da Polícia estimam que as irmãs permaneceram no local dos ataques durante 2 dias até serem descobertas. Os médicos conseguiram reanimar Wolfe, mas Keller morreu. Em 30 de maio, Ruth Wilson, 41 anos, foi acordada no meio da noite por uma lanterna em seu rosto. Ramírez teria entrado silenciosamente em sua casa em Burbank e estava segurando uma arma em sua cabeça. Ele ordenou que ela saísse da cama e fosse para o quarto de seu filho de 12 anos. Ramírez colocou a arma na cabeça da criança, alertou Wilson para não fazer um barulho. Ele, então, algemou o menino e o trancou em um armário. Supondo que ele era apenas um ladrão, ela se ofereceu para dar a Ramírez seus bem mais precioso, um colar de ouro e diamantes. Ela o levou para a cômoda no quarto dela, onde ela o mantinha, esperando que isso o acalmasse. Depois de vasculhar a casa, ordenou que Wilson colocasse as mãos juntas nas costas, amarrando-as com uma meia-calça. Ele, então, empurrou ela na cama e a estuprou. Ela disse que Ramírez parecia ter tido uma vida "muito infeliz" para ter feito isso com ela. Ele teria dito a ela que ela parecia "muito boa" para sua idade e disse que ia deixá-la viver apesar de ter matado muitos outros. Quando ela reclamou que a meia-calça em torno de seus pulsos estava cortando sua circulação, ele a soltou e trouxe um manto antes de soltar o filho do armário e algemá-los lado a lado. Ele, então, saiu da cena. Depois, o menino foi capaz de chegar a um telefone e ligar para o 911. Quando a polícia pediu a Wilson para descrever seu agressor, ela disse a eles que ele era um homem alto e latino-americano com longos cabelos escuros. Em 2 de julho, o corpo Mary Louise Cannon de 75 anos foi encontrado em sua casa em Arcadia. Ela tinha sido espancada, sua garganta cortada, e sua casa havia sido saqueada. Em 5 de julho, Ramírez voltou a Arcadia e agrediu severamente Whitney Bennett de 16 anos, uma novata de La Cañada High School, com um ferro de pneu. Whitney que usava o pseudônimo de "Deidre Palmer", precisou levar 478 pontos, mas sobreviveu a seus ferimentos. De acordo com a biografia de Philip Carlo de 1996, Bennett casou-se com Mike Salerno, o filho do sargento Frank Salerno do Departamento de County Sheriff's em Los Angeles, detetive responsável pelo caso Night Stalker e também pelo caso do dos “Hillside Stranglers” (estranguladores de Hillside). Eles se conheceram quando ela prestava depoimentos a policia. Dois dias depois, em 7 de julho, o corpo de Joyce Lucille Nelson, 61 anos, foi encontrado espancado por um objeto contundente na sua casa em Monterey Park. Nelson trabalhava nos correios de Los Angeles, Califórnia. Mais tarde, naquela mesma noite em Monterey Park, Sophie Dickman, uma enfermeira de 63 anos de idade, foi acordada em torno de 3:30 da manhã por "um homem alto, magro e vestido de preto". O homem, que se encaixava na descrição do "Night Stalker", estava apontando uma arma para ela. Ele ordenou que ela saísse da cama e fosse para o banheiro, onde a mandou ficar quieta. Após saquear a casa, ele voltou até ela e a forçou a voltar para sua cama. Ele tentou estupro e sodomia com ela, mas ele não conseguiu ter uma ereção. Ele se sentiu frustrado e humilhado, e estava certo de que ele iria matá-la. Ele gritou com ela furiosamente, mas em seguida recolheu os objetos que queria e foi embora. Ela ficou surpresa de que ele havia poupado sua vida. Menos de duas semanas depois, no dia 20 de julho, Ramírez foi para um novo local em Los Angeles, Glendale, na casa de Lela e Max Kneiding, ambos com 66 anos. Ele também levou uma nova arma, um facão. Embora todas as janelas e portas estivessem trancadas, o assassino cortou a tela de uma porta e alcançou a chave na fechadura. O facão foi utilizado no pescoço de Max e em seguida, o assassino tentou cortar Lela, mas falhou. Ramírez puxou sua pistola .22 e tentou atirar, mas a arma também. Como as vítimas imploraram por sua vida, Ramírez limpou a arma e atirou neles até a morte. Então, ele os mutilado após a morte com o facão. A casa foi saqueada. Ramírez fugiu pouco antes da policia chegar, a policia foi alertada por vizinhos que ouviram os tiros. Em 6 de agosto, Ramírez encontrou outro casal, Christopher e Virgínia Petersen, com idades de 38 e 27 anos. Ramírez invadiu a residência do casal em Northridge por uma porta de vidro deslizante, que levava a sala. Antes de entrar no quarto, ele engatilhou a pistola .22 automática. Virgínia tinha sono leve e acordou com o clique "metálico". Ramírez avançou em direção a ela com as duas mãos na arma. Ela gritou com ele e ele disse para ela se calar quando ele atirou nela em cima do olho esquerdo. A bala atravessou o céi de sua boca e penetrou em sua garganta, saindo pela parte de trás do pescoço. Chris acordou e após os barulhos pensando que era algum tipo de jogo. Ele olhou para o rosto da mulher e foi baleado por Ramírez na têmpora direita, mas a bala não perfurou o crânio Chris. Ele pulou e atacou Ramírez que atirou nele mais duas vezes. Ambas as balas não o atingiram. Enquanto lutava, Chris arremessou o assassino para o chão. Ramírez fugiu da casa da mesma forma que entrou. Chris e Virgínia sobreviveram ao ataque brutal. Duas noites depois do ataque aos Petersen, Ramírez atacou novamente, desta vez em Diamond Bar. Elyas Abowath, 35 anos, foi baleado na cabeça e morto enquanto ele dormia. Com Elyas morto, Ramírez molestou a esposa de Elyas, Sakina de 29 anos. Ele a estuprou, a sodomizou e a forçou a fazer sexo oral nele. Os peritos que perfilaram ele acreditavam que esta era a forma como ele preferia atacar, matando os homens e estuprando as mulheres. O condado de Los Angeles estava em um estado de desordem, os crimes do Night Stalker estavam se tornando cada vez mais freqüentes. Os períodos entre os seus crimes estavam see encurtando e a gravidade era cada vez maior. Havia poucas dúvidas de que ele iria voltar a atacar. Mas ele parou, Ramírez decidiu abandonar seu território. Após o ataque aos Abowath, ele partiu para o norte. Em 18 de agosto de 1985, Peter e Barbara Pan foram encontrados em sua cama cobertos de sangue em Lake Merced, um conjunto habitacional em San Francisco. Ambos tinham sido baleados na cabeça. Peter, um contador de 66 anos de idade, foi declarado morto no local. A Sra. Pan, de 64 anos, sobreviveu, mas ficou inválida para o resto de sua vida. Rabiscado na parede de batom estava um pentagrama invertido e as palavras "Jack the Knife". A polícia local determinou que o assassino tinha entrado através de uma janela aberta. Temendo que o Night Stalker de Los Angeles houvesse se mudado para a sua área, os investigadores de homicídio enviou uma bala retirado do Sr. Pan com uma equipe forense para Los Angeles. A bala era igual as recuperados de duas cenas de crimes em Los Angeles. O pânico se espalhou pela cidade de San Francisco. Para acalmar os temores, o prefeito Dianne Feinstein falou publicamente sobre a caça ao Night Stalker, mas ao fazer isso os investigadores ficaram irritados por isso causar um alarde maior e atrapalhar a investigação. Especificamente, a Sra. Feinstein anunciou que as autoridades já sabiam que tipo de arma era usada pelo Night Stalker, e tinha cópias de suas pegadas. Na manhã seguinte, depois de ler o jornal, Ramírez jogou sua arma e sapatos na Golden Gate Bridge. Mas a polícia de San Francisco pegou o depoimento do gerente do Hotel Bristol, no distrito de Tenderloin que afirmou que um jovem que se encaixava na descrição do Night Stalker tinha ficado em seu estabelecimento ao longo do tempo durante o último ano e meio. O gerente lembrou que o homem tinha os dentes podres e cheirava mal. A polícia verificou o quarto que ele tinha ficado, dentro na porta do banheiro, encontraram um pentagrama desenhado. O homem tinha ficado lá durante o dia 17 de agosto. O Sr. e Sra. Pan foram atacados naquela noite. Os investigadores então encontraram um homem em El Sobrante (a leste de San Francisco) que disse que ele havia comprado algumas jóias, um anel de diamante e um par de abotoaduras, de um jovem que se encaixar na descrição do Night Stalker. Investigações posteriores revelaram que esses itens haviam pertencido ao Sr. Pan. Em 24 de agosto, enquanto a polícia de São Francisco estava lutando para encontrar o homem misterioso jovem com dentes podres, o Night Stalker havia encontrado um outro casal que ele planejava fazer suas vítimas. No entanto, este casal não foi na área da baía, mas em Mission Viejo, 50 quilômetros ao sul de Los Angeles. Bill Carns e sua noiva de 29 anos tinham acabado de se deitar para dormir quando foram subitamente despertados por tiros altos no quarto. Instintivamente, ela estendeu a mão para seu noivo, mas ele já tinha sido gravemente ferido. Antes que ela percebesse o que estava acontecendo, o intruso a agarrou pelos cabelos e a puxou para um outro quarto onde a amarrou pelos tornozelos e pulsos com gravatas. O homem então perguntou se ela sabia quem ele era, admitindo que ele era o assassino que estava recebendo toda a cobertura da imprensa e da televisão. Ele vasculhou a casa, à procura de objetos de valor, mas não havia nada pequeno o suficiente para roubar facilmente. Irritado que o casal tinha tão pouco, ele voltou para ela e a estuprou duas vezes. Com medo do que ele poderia fazer em seguida, ela o disse para olhar em uma gaveta onde seu noivo guardava algum dinheiro. "Juro por Satanás", disse ela. Ela fez o que ele queria e jurou a Satanás que estava dizendo a verdade. Ramírez encontrou o dinheiro, e como ele contou, ele teria zombado dela, dizendo que isto era o que valia a pena. Ela achou que este era o fim dele, que ele iria sair agora que já tinha o dinheiro. Mas ele não estava completamente satisfeito com ela. "Jura seu amor por Satan", ele perguntou. Com medo do que ele poderia fazer em seguida, ela fez o que ele pediu. "Eu amo Satan", ela murmurou. Ele ordenou a ela que dissesse isso outras vezes. Ele a puxou pelos cabelos e a fez se ajoelhar, então ele a forçou a fazer sexo oral nele. Quando ele terminou, ele recuou e olhou para ela. Ainda amarrada as gravatas, ela estava certa de que ele ia matá-la exatamente como ele havia feito com seu noivo. No entanto, Ramírez, de repente riu para ela e fugiu. Ela rapidamente se soltou das gravatas e chamou o 911. Em 22 de outubro de 2009, a Polícia de San Francisco anunciou Ramirez matou em 1.984, Mei Leung, de 9 anos . O detetive de homicídios Holly Pera apresentou provas de DNA do crime CODIS, que bateu com o perfil do DNA de Ramirez. No momento da morte Mei Leung, Ramirez tinha ficado em dois hotéis diferentes. Mais cedo, na noite de 24 de agosto, um adolescente que estava trabalhando em sua moto na garagem de seus pais tinha notado um carro Toyota laranja em seu bairro, e notou novamente quando ele estava indo embora. Isso pareceu suspeito, por isso ele anotou o número da placa. Na manhã seguinte, ele falou com a polícia sobre o carro. Com o número da placa, a polícia foi capaz de determinar que o Toyota 1976 laranja tinha sido roubado em Chinatown Los Angeles, enquanto o proprietário estava jantando em um restaurante. Um alerta foi lançado para o carro, e dois dias depois ele foi localizado no nairro Rampart de Los Angeles. A polícia manteve o carro sob vigilância por quase 24 horas, na esperança de que o Night Stalker voltaria para ele, mas ele não voltou. Uma equipe forense vasculhou o carro em busca de provas e veio acharam uma impressão que enviaram a Sacramento para análise. Horas depois, o computador tinha uma resposta. A impressão pertencia a Ricardo "Richard" Múñoz Ramírez. Uma análise posterior revelou que esta impressão correspondia a impressão tirada da janela dos Pans em San Francisco.Em 31 de agosto, Ramírez chegou na estação de ônibus Greyhound em Los Angeles, depois de voltar da casa de seu irmão em Tucson, Arizona. Como Ramírez estava saindo da estação de ônibus, ele percebeu que a área estava cheia de policiais, mas conseguiu escapar despercebido, sem saber que ele foi identificado como o Night Stalker. Como ele entrou em uma loja na esquina, os proprietários notaram o seu rosto no retrato falado e um deles gritou "El Matador" (O Assassino). Ramírez virou para o lado, e viu que seu rosto estava na capa de todos os jornais. Ramírez correu duas milhas em 12 minutos, rumo ao leste de Los Angeles.Ramírez, em seguida, tentou roubar o Ford Mustang vermelho de Faustino Pinon. Ramírez, que vestia uma camisa preta Jack Daniel’s, foi pulando cercas entre os estaleiros, em busca de um carro que ele pudesse roubar facilmente. Ele havia sido expulso da propriedade ao lado da casa de Pinon e estava tendo uma feira no quintal de Pinon. Ramírez viu o Ford Mustang estacionado e a garagem estava aberta e as chaves estavam na ignição. Ele saltou e ligou o motor, mas não tinha percebido que o dono do carro estava embaixo dele, trabalhando na transmissão. Tão logo Pinon, 56 anos, ouviu o motor de partida, ele rolou debaixo do carro. Assustado que alguém pudesse tentar roubar seu bem, Pinon o alcançou pela janela e o agarrou Ramírez pelo pescoço. Ramírez avisou Pinon que ele tinha uma arma, mas Pinon ignorou. Ramírez colocou o carro em primeira marcha e tentou se afastar, mas Pinon não deixou ele ir. O carro colidiu contra um muro, depois da garagem. Pinon abriu a porta, e puxou Ramírez para fora e atirou ele ao chão. Ramírez se levantou e correu, ao atravessar a rua Angelina De la Torres de 28 anos estava em seu Ford Granada. Ele correu até o carro dela e enfiou a cabeça pela janela do motorista, exigindo que ela lhe desse as chaves, em espanhol ameaçando matá-la se ela não soubesse falar. Ela gritou por socorro e seu marido Manuel, de 32 anos, saiu correndo do quintal. De acordo com Nancy Skelton do Los Angeles Times, ele agarrou um cano de metal quando ele passou pelo portão localizado na lateral da casa. Entretanto, José Burgoin, que tinha escutado a luta na garagem de Faustino Pinon, tinha chamado a polícia. Ele correu para fora para ajudar Pinon e quando ouviu o grito de Angelina, ele chamou seus filhos (Jaime, 21 de 21 anos, e Julio, de 17 anos) para ajudá-lo. Como os irmãos correram para ajudar a Sra. De la Torres, eles viram o estranho no banco da frente do carro. Jaime reconheceu a partir de fotografias nos jornais e na televisão e gritou que era o assassino, e os homens fizeram uma corrida louca para pegá-lo. Ramírez tentou fugir, mas Manuel De la Torres pegou ele e bateu em seu pescoço com o cano de metal que ele ainda estava carregando. Ramírez continuou correndo, mas De la Torres o seguiu, o atingindo repetidas vezes pelas costas. Jaime Burgoin saiu no soco com Ramírez. Ramírez tropeçou e caiu, mas rapidamente se levantou e continuou correndo com De la Torres e os irmãos Burgoin nos seus calcanhares. Finalmente, De la Torres atingiu forte a cabeça de Ramírez. O Night Stalker desabou no chão. Jaime e José Burgoin ficaram sobre ele para mantê-lo no chão até a polícia chegar. Um dia depois ser pego, Ramírez foi tornado público, o Night Stalker estava sob custódia e atrás das grades. Após sua prisão, Ramírez, 25 anos, foi acusado de 14 assassinatos e 31 de outros crimes relacionados desde 1985. Ele também foi acusado de um assassinato em São Francisco e acusações de estupro e tentativa de homicídio em Orange County.O julgamento teve início em 22 de julho de 1988.O Los Angeles Times relatou que alguns empregados do presídio ouviram Ramírez planejar atirar no promotor com uma arma, que Ramírez pretendia ter ilegalmente no tribunal. Por consequência, um detector de metais foi instalado fora da sala de audiências e vistorias intensas foram conduzidas em pessoas que entravam. Em 14 de agosto, o julgamento foi interrompido porque um dos jurados, Phyllis Singletary, não chegou ao tribunal. Mais tarde, naquele dia, ela foi encontrada morta em seu apartamento. O júri estava apavorado, querendo saber se Ramírez havia comandado este fato de dentro de sua cela na prisão, e se ele pode chegou a outros membros do júri.No entanto, Ramírez não foi responsável pela morte de Singletary, tinha sido baleada e morta por seu namorado, que depois se matou com a mesma arma em um hotel. O jurado que substituiu Singletary estava assustado demais para voltar para sua casa. Em 20 de setembro de 1989, Ramírez foi considerado culpado de 13 acusações de assassinato, 5 tentativas de homicídio, 11 estupros e 14 furtos. Durante o julgamento em 7 de novembro de 1989, ele foi condenado à morte na câmara de gás a Califórnia. O julgamento de Richard Ramirez foi um dos mais difíceis e mais longos processos criminais na história americana. Cerca de 1.600 jurados foram entrevistados. Mais de cem testemunhas testemunharam e enquanto algumas testemunhas tiveram problemas em recordar certos fatos, quatro anos após os crimes, outras foram exatas ao identificar Ramírez. Na época do julgamento, Ramírez tinha fãs que estavam escrevendo cartas e o fazendo visitas. Em 7 de agosto de 2006, sua primeira rodada de recursos terminou sem sucesso, quando a Suprema Corte da Califórnia confirmou sua sentença de morte. Em 7 de setembro de 2006, a Suprema Corte da Califórnia negou o pedido de revisão.

Biografia Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5

O Filme Night Stalker se baseia nesses acontecimentos.

O livro Night Stalker: The Life and Crimes of Richard Ramirez, de Philip Carlo se baseia nesses acontecimentos. Em uma edição posterior, esse livro contou com uma entrevista exclusiva com Richard Ramirez.

2 comentários:

<